Sobre o Projeto

Vivemos um momento difícil.
Em jogo está a possibilidade de perda do mais valioso bem da humanidade: a vida.

O mundo se volta ao combate da Covid-19 e todo nós, de alguma forma, estamos nos privando de muitas coisas que tanto gostamos, como encontrar pessoas, passear pelas ruas, estudar, fazer exercícios num parque ou praia e, até mesmo, comprar algo que nos interessa ou que nos seja necessário.

Não está fácil comprar um remédio importante, um delicioso lanche para curtir com a família, um pãozinho para o café da manhã, aqueles legumes, frutas e verduras e nem mesmo nosso feijão. Mas, para atenuar tais adversidades, podemos contar com o apoio das tecnologias de informação, que nos auxiliam a partir de soluções interessantes e práticas, como os serviços de entrega atuantes no mundo inteiro e que mantêm parcerias de sucesso com redes de supermercados, restaurantes, farmácias, entre outros tantos empreendimentos.

No entanto, nem todo segmento comercial está inserido neste contexto dos aplicativos de penetração global e, por isso, muitos comerciantes e prestadores de serviços de bairros, que tanto facilitam nossa vida, estão passando por dificuldades para manter em funcionamento seu negócio: a mercearia da esquina, a pequena farmácia, a padaria de pequeno porte, o entregador de gás, a quitanda que nos evita enfrentar filas nos mercados, o jardineiro…

Mas, esses pequenos negócios de bairro não ficaram parados diante do atual quadro e começaram a se mobilizar via redes sociais, como no WhatsApp, Instagram, Facebook, para divulgarem seus serviços e produtos, que, dada a dificuldade de circulação de pessoas, passarão também a serem entregues em domicílio. Boa parte dessa divulgação passou a ocorrer de forma espontânea nos grupos de amigos, familiares, colegas de trabalho, através de mensagens, imagens ou documentos, com os canais de comunicação para  prestação de serviço ou compra de produtos.

Essas iniciativas são louváveis e têm ajudado muita gente, tanto do lado do comerciante de bairro como do lado do cliente. Entretanto, a demanda expandiu, tornando, às vezes, difícil encontrar as informações dispersas em nossos smartphones sobre os canais de contato com os diversos comércios de nosso bairro. Neste contexto, surgiu a motivação para que professores e alunos do Departamento de Ciência da Informação da UFPE se mobilizassem, em um esforço voluntário e coletivo, para oferecer um estímulo aos comerciantes de bairro, que neste momento estão mais vulneráveis diante do quadro que vivenciamos.

Desta forma, foi implementado o site No Bairro Tem!, onde os donos de pequenos negócios podem cadastrar as informações sobre sua empresa, seus produtos e serviços,  e onde os consumidores podem buscar o que for de seu interesse, ambos de maneira gratuita.

Para os professores e alunos do DCI/UFPE, este é um momento singular, no qual todos devem se unir de forma solidária para contribuir com a sociedade por meio daquilo que a Universidade mais tem a oferecer: o saber.

Prof. Dr. Fabio Mascarenhas