É possível ser solidário na epidemia de coronavírus sem sair de casa

É possível ser solidário na epidemia de coronavírus sem sair de casa

Redes e plataformas foram criadas para facilitar doações ou compras para aqueles que estão mais sofrendo com a pandemia. Fizemos um guia com as principais iniciativas.

São Paulo – 06 ABR 2020 – 09:41 BRT

Enquanto os números de casos confirmados e óbitos notificados em decorrência do coronavírus crescem diariamente, há lugares, por outro lado, onde as cifras só diminuem: dos hemocentros —onde as doações caíram vertiginosamente— às regiões mais vulneráveis das cidades, onde a falta de trabalho e a baixa renda refletem diretamente na fome e na ausência de produtos básicos de higiene. O que não falta, neste momento, é a falta. Seja de alimentos, de medicamentos, de trabalho e até de equipamentos de segurança para os profissionais que estão na linha de frente dessa guerra.

Mas há uma rede de solidariedade que se fortalece a cada dia pelo Brasil, incluindo até iniciativas inusitadas, como a de um bombeiro que toca Bossa Nova em cima de uma grua a uma altura de 50 metros pelo Rio de Janeiro para animar quem está fechado em casa há dias, que aplaude e agradece. Há ainda os que fazem compras para idosos ou continuam pagando a diarista enquanto ela fica em casa, protegida da doença. Já falamos aqui sobre ações simples, mas é possível fazer ainda mais, para além do nosso próprio microcosmo.

Por isso, preparamos uma pequena lista de lugares que precisam de ajuda. E a maioria deles você pode ajudar sem ter que sequer furar a quarentena:

No Bairro Tem – plataforma que conecta vendedores do bairro de toda a cidade do Recife às demandas de quem está em isolamento social.

Como ajudar: Qualquer vendedor de pequenos negócios da Região Metropolitana do Recife pode se cadastrar. Para acessar os serviços, basta colocar o nome do bairro onde você está nesta plataforma.

Nenhum comentário

Adicione seu comentário